fbpx

Compartilhar

Brasil Diverso

20 ANOS DE AÇÕES AFIRMATIVAS NO BRASIL:
Das Universidades aos cargos estratégicos das grandes empresas

logo site

 

O livro “20 anos de ações afirmativas no Brasil: Das universidades aos cargos estratégicos das grandes empresas”, traz na sua essência a história das ações afirmativas no Brasil e toda a discussão que envolveu o assunto, desde o debate por grupos sociais e artísticos como o teatro experimental do negro, Frente Negra Brasileira e muitos outros com grande relevância na cultura brasileira.

A publicação com grandes ilustrações, fotos, depoimentos, traz também um registro iconográfico com ilustrações das mudanças substanciais que ocorreram na sociedade brasileira nos últimos anos. Da problemática e da exclusão no mercado de trabalho e ao começo da ascensão e ocupação de negros em cargos estratégicos nas empresas e na administração pública, passando também pela área de cultura onde hoje não só a produção audiovisual como outros setores já empregam e reservam espaços para produção negra no Brasil. Essa verdadeira revolução cultural tem ocorrido em menos de duas décadas sem que ainda se tenha um registro editorial e gráfico deste período.

O livro terá foco neste tema, e possuirá também entrevistas e comentários de artistas, produtores, CEOS, intelectuais apontando os avanços que tem surgido a partir dessas ações. Progressos que vão desde o aumento de afrobrasileiros em cargos estratégicos nas empresas até a direção de arte em produções audiovisuais temáticas ou não na questão racial, mas cujos produtores e a movimentação econômica em torno do mesmo mostra a ascensão e a ocupação desses espaços pela maioria da população que a pouco mais de duas décadas estava excluída desses setores.

 

 

Capítulos – O livro será composto por algumas seções:

1ª seção – História da desigualdade negra no Brasil

2ª seção – Resistência e reivindicações

3ª seção – Nem só de música e esporte vive o negro

4ª seção – Reivindicação e primeiros avanços no mercado de trabalho pós ditadura militar

5ª seção – A história das ações afirmativas na redemocratização do país

6ª seção – Ações afirmativas na educação e no mercado de trabalho

 

Lançamento do Livro

Fórum Brasil Diverso reuniu importantes nomes do mundo corporativo mundial para debater a necessidade de igualdade de gênero e raças dentro das empresas.

A primeira edição ocorreu no MIS – Museu da Imagem e do Som – em formato inovador. Recebeu entre os cerca de 200 convidados, representantes de multinacionais que se revelaram como exemplos de sucesso profissional dentro da realidade discriminatória. Entre os presentes estava Annie Jean-Baptiste, líder global de “inclusão de produtos” no Google/EUA, que desenvolveu programas relacionados a gestão de diversidade. Também no destaque, Norman Barclitt, diretor de marketing da Bayer América Latina e Rachel Maia, empresária brasileira com especialização em Harvard.

O grande evento serviu para abrilhantar nosso projeto sobre o tema e enriquecer a importância de trazer este assunto para nosso desenvolvimento cultural, buscando contribuir para a desigualdade racial.

Assim teremos um conteúdo histórico e cultural, onde serão destacadas as iniciativas dos órgãos nacionais e internacionais para que o Brasil esteja mais aberto a entender e objetivar como vencer os preconceitos raciais contribuindo para toda forma de desenvolvimento de um povo ou nação.

 

.

O que são ações afirmativas?

Ações afirmativas são políticas públicas feitas pelo governo ou pela iniciativa privada com o objetivo de corrigir desigualdades raciais presentes na sociedade, acumuladas ao longo de anos.

Essas ações incluem medidas que têm por objetivo combater discriminações étnicas, raciais, religiosas, de gênero, ou de casta, aumentando, assim, a participação de minorias no processo político, no acesso à educação, saúde, emprego, bens materiais, redes de proteção social, ou no reconhecimento cultural.

 

BRASIL DIVERSO

 

O objetivo do Fórum Brasil Diverso é discutir a inserção da diversidade por meio de uma maior inclusão de negros e mulheres em cargos estratégicos dentro das grandes empresas brasileiras. Visando que essas ações alterem a mentalidade da lógica de exclusão existente, onde, negros, pessoas de diferentes gêneros e que vem de classes sociais baixas são responsáveis por posições subalternas.

A conscientização da diversidade racial brasileira e o encorajamento a inclusão, irá impulsionar o movimento a favor da diversidade utilizando recursos que auxiliam na erradicação da intolerância e preconceito à raça ou cor. Queremos promover iniciativas inovadoras que sirvam como catalisadores de tendências, para isso o Fórum Brasil Diverso e o Website Fórum Brasil Diverso, irá desenvolver e divulgar pesquisas e informações sobre o tema para subsidiar a atuação dos stakeholders.

Ampliando assim a visibilidade para os profissionais e as empresas que implementam iniciativas voltadas para a equidade de raça e gênero e também envolver novos atores, em particular empresas e lideranças empresariais, com esse foco. Assim aproximamos a população negra das empresas interessadas em trabalhar a diversidade nos seus quadros funcionais, em suas operações e na sua cadeia produtiva. Atingindo a população interessada, composta por profissionais da área, estudantes, acadêmicos, formadores de opinião, entusiastas do tema e público em geral.

Conta como diretor do projeto Maurício Pestana, hoje o nome de maior autoridade no país engajado na promoção da igualdade racial, publicitário, cartunista, escritor e roteirista, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior. É Presidente do Conselho Editorial da Revista Raça Brasil e diretor executivo da mesma publicação, sua extensa obra tem se destacado na luta em favor dos direitos humanos e cidadania além de ser o Autor e coautor de diversas publicações com o tema igualdade racial.

 

Lançamento do Projeto Brasil Diverso
Fórum para Empresas Privadas

 

Liderado pela Revista Raça aconteceu um café da manhã no Hotel HoliDay Inn, no dia 24 de outubro de 2017 onde empresas privadas se comprometem com a iniciativa de discutir em âmbito nacional políticas de inserção, permanência e ascensão de negros no mercado de trabalho, nasce assim o Brasil Diverso. Presentes neste café estavam os representantes das grandes empresas do setor público e privado.

Algumas falas tiveram grande impacto como as de Rachel Maia, ex-CEO da Pandora, “Devemos estruturar essa iniciativa para tangibilizá-la”, disse. Ela comentou a frequência com que adentra nos espaços corporativos na América Latina como a única mulher negra, nascida num país de mais de 200 milhões de habitantes, cuja metade da população é de afrodescendentes e a única CEO de uma grande empresa, no caso, a multinacional italiana que é a segunda maior rede de joalherias no mundo.

Rachel enfatizou também a necessidade de estruturação para além de uma dimensão visual e lembrou a reação de usuários e leitores em sua conta de Linkedin, ou seja, o não reconhecimento do problema. As ações precisam ser genuínas e devem ser coletivas. Medidas práticas e não apenas discursivas. No final do encontro foi oferecido um documento para que os presentes assumissem o compromisso público de trabalharem no sentido de:

  1. Igualdade para além da estrutura da empresa – igualdade nas estruturas (cargos de decisão);
  2. Ação afirmativa com relação aos terceirizados;
  3. Indicativos internos às empresas;

 

Liderança Feminina Negra
Palestra com as três mais importantes secretarias de Estado negras do Brasil.

 

No dia 20 de março de 2018, mês da mulher e véspera do dia mundial de luta pela eliminação da discriminação racial, criado pela ONU (Organização das Nações Unidas), em referência ao massacre
de Sharpeville, África do Sul.

Aconteceu no Museu de Imagem e Som (MIS), uma conversa com as três grandes lideranças femininas negras, que comandam na Bahia, São Paulo e Minas Gerais, Secretarias de Estado: Olivia Santana (Trabalho e Esporte), Coronel Helena Reis (Casa Militar) e Macaé Evaristo (Educação). Comandada pelo jornalista Mauricio Pestana, o bate papo falou sobre inclusão, diversidade, dificuldades enfrentadas a longo de suas carreiras e o empoderamento das mulheres que almejam altos cargos políticos e sociais.

Vivendo sob o peso da injustiça social produzido por um sistema de brutal exploração do ser humano, a situação das mulheres negras acaba concentrando os aspectos mais nocivos dessa sociedade: são exploradas como trabalhadoras, discriminadas por sua raça e oprimidas.

Quando falamos da participação política e empoderamento das mulheres, falamos em uma perspectiva de mudança profunda do status quo na sociedade e de modificar as estruturas sociais de forma radical, o que requer retirar privilégios daqueles que sempre ocuparam o espaço público na sociedade para garantir a participação dos setores sociais historicamente marginalizados e alijados dos locais de decisão política e de poder.

 

Lançamento da Plataforma forumbrasildiverso.org

 

Lançado em março de 2018, será uma referência para o tema da igualdade racial e de gênero nas empresas, com textos conceituais e pesquisas sobre equidade racial e de gênero nas empresas, links e referências bibliográficas sobre o tema, experiências de empresas voltadas para a equidade racial e de gênero, vídeos de líderes empresariais e especialistas.

 

Compartilhar