Fundação Iberê Camargo

Lei de incentivo: PRONAC – Federal

Local: Rio Grande do Sul

0
ANOS DE CRIAÇÃO
0
PARTICIPANTES
0
OFICINAS REALIZADAS
0
% CAPTADO

A Fundação Iberê foi criada em 1995, com a missão de preservar, investigar e divulgar a obra de Iberê Camargo, além de aproximar o público deste que é um dos grandes nomes da arte brasileira do século XX, estimulando a reflexão sobre arte, cultura e educação por meio de programas transdisciplinares e do fomento à própria produção artística.

A partir de 2017, a Fundação passou por um intenso processo de reposicionamento institucional, com o objetivo de expandir sua atuação nas artes de forma a desenvolver uma programação mais diversificada, abrangente e democrática, a partir de um conjunto de programas públicos que busca dialogar com os variados campos do conhecimento, da filosofia à antropologia, da psicanálise à ciência política, entre tantas outras disciplinas.

Preservar o acervo, promover a pesquisa e a divulgação da obra de Iberê Camargo e estimular a interação dos públicos da Fundação com a arte, a cultura e a educação a partir de programas transdisciplinares que dialoguem com as diversas manifestações culturais e os mais variados campos do conhecimento.

A cada ano, são organizadas exposições, seminários, encontros com artistas e curadores, cursos, oficinas, entre outras atividades, que versam sobre a obra de Iberê Camargo e sobre temas ligados à arte moderna e contemporânea, articulando, além das artes visuais, as demais manifestações artísticas – como o cinema, a música, a arquitetura, o teatro e a literatura – e os mais diversos campos do conhecimento.

A atual sede da Fundação, inaugurada em maio de 2008, foi projetada pelo arquiteto português Álvaro Siza, um dos mais relevantes da contemporaneidade. O prédio, criado para abrigar o acervo e todas as demais atividades, possui salas expositivas, átrio, reserva técnica, centro de documentação e pesquisa, ateliê de gravura, ateliê do programa educativo, auditório, loja, cafeteria, estacionamento e parque ambiental projetado pela Fundação Gaia.Propósito

Iberê Camargo sempre desejou permanecer. Permanecer não como matéria, mas como arte, expressão máxima de sua vida.


Essas instituições, pela sua capacidade de ação educativa, e sua ação em um território, vem sendo
reconhecidas também pelo papel que desempenham na cadeia produtiva da cultura, conforme destacado pelos recentes acenos da política sobre a necessidade de fomento às suas atividades.

Colaborando com esse projeto, sua empresa contribui com os seguintes objetivos de desenvolvimento sustentáveis propostos pela ONU: