fbpx

Pacientes encontram a cura do câncer no tratamento gratuito oferecido pelo HGCS - LS Nogueira

Compartilhar

LS News / Notícias

Pacientes encontram a cura do câncer no tratamento gratuito oferecido pelo HGCS

Pacientes encontram a cura do câncer no tratamento gratuito oferecido pelo HGCS

Hospital, que precisa do apoio através do PRONON, mantém atendimento de Excelência.

“Eu não acreditava no SUS até conhecer o Hospital Geral de Caxias do Sul. Essa é dona M.N.B, gaúcha de 80 anos, que descobriu a doença em 1992. “Na verdade eu já sabia que era câncer quando percebi um caroço na axila. Eu vi grande parte de minha família sofrer do mesmo mal”. Mas dona M. relutava em procurar um médico, mesmo porque precisava cuidar da filha que enfrentava um câncer de mama e que – depois – também foi curada no HGCS. “Acabei sendo forçada a ir por conta de uma gripe forte. Foi quando pedi a confirmação do diagnóstico”. Foram diversas sessões de quimioterapia e uma cirurgia, inclusive para a retirada da mama. “Minha maior preocupação era perder o cabelo, acredita?”, diz Dona M, já demonstrando total segurança na equipe oncológica. “Eles cuidam da gente, telefonam para avisar de exames e consultas. Melhor que hospital particular”. Hoje, está curada. Cuida da casa, borda, faz crochê e “ai” de quem falar mal do Hospital Geral de Caxias do Sul.

Hoje, a professora D.O. tem a mesma certeza. Descobriu o câncer aos 37 anos e grávida do segundo filho.

Ela mora em Antônio Prado, cidade próxima a Caxias do Sul. Na época, achou que a massa que sentir em um dos seios era por causa da preparação do corpo para amamentação. E assim foi até dar à luz. No entanto, quando seu bebê estava com 11 meses o leite secou e a massa continuava ali.

“Fui encaminhada pelo ginecologista para o HGCS e lá começou a minha maratona rumo a cura”. Ela diz que foi tudo muito rápido: 16 quimioterapias, 25 radioterapias, três cirurgias e a reposição da mama. “Eles nos deixam muito tranquilos. Tenho muita segurança na equipe”. Com 42 anos de idade, a professora quer dar um conselho: “Nunca aceitem o primeiro diagnóstico negativo. No caso de desconfiança, procurem mais opiniões e exames.”. Hoje, a paciente apenas faz acompanhamentos periódicos na “impressionante organização e estrutura do Hospital Geral de Caxias do Sul”.